-----CONSELHOS PARA INICIANTES

28 jul. 2014

O PEIXE GUPPY

 

 

Guaru, Barrigudinho, Bandeirinha, Sarapintado, Cospe-Cospe, Peixe-Arco-Íris, Guaru-Guaru, Bobó, Lebiste, Guppie, Gupaí, Rainbowfish, Millionfish, Missionaryfish, Millionenfisch, Peacockfish, Buntfleckkaerpfling, 구피 (어류) (em coreano), Iwak Guppy (em javanês), Gupi (em estoniano e em indonésio), 孔雀魚 (em chinês), グッピー (em japonês), جوبي (em árabe), گوپی (em persa), Quppi (em azerbaianês), Гупи (em búlgaro), Živorodka duhová (em tcheco), Miljoonakala (finlandês), גופי (em hebraico), Szivárványos guppi (em húngaro), ปลาหางนกยูง (em tailandês), Ikan Gupi (em malaio) e Guppy são alguns dos nos nomes dados a esta espécie de peixe tropical. Seu nome internacionalmente mais conhecido – Guppy – teve origem após o naturalista Robert John Lechmere Guppy ser homenageado pelo ictiólogo Albert Charles Lewis Gotthilf Günther.

Este peixe é originário do Norte da América do Sul e América Central, mais especificamente da Venezuela, Trinidad e Tobago, Guiana, Suriname, Barbados, entre outros países da região. Entretanto, após estudos mostrarem ser um excelente larvófago de mosquitos e de pernilongos transmissores de doenças, ter fácil adaptação e reprodução, foi difundido em diversos países, em todos os continentes, exceto Antártica. No Brasil, o Guppy foi espalhado em diversos lagos, brejos e lagoas, após a década de 50, para controlarem os mosquitos do gênero Anopheles, transmissores da malária. Esses mosquitos, bem como os mosquitos do gênero Aedes - transmissores da dengue - preferem águas paradas e límpidas, dando preferência para corpos d´água menores e mais isolados.

A sua primeira aparição foi em 1859, quando o naturalista e explorador alemão Wilhelm Karl Hartwich Peters, curador do Museu Zoológico de Berlim, descreveu uma remessa de peixes preservados em álcool, provenientes do norte da América do Sul, mais precisamente de Caracas, Venezuela. Devido ao seu padrão em forma de rede, Peters denominou a espécie Poecilia reticulata. A partir da década de 1900, este peixe passou a ser importado por comerciantes alemães, criado e selecionado por admiradores de peixes exóticos. Hoje o Guppy está entre os peixes ornamentais dulcícolas mais populares do mundo e é um dos mais bonitos.

Os machos são menores que as fêmeas e possuem em média 5 cm. Apresentam dezenas de padrões de cores e formatos, diversificando de outras espécies. Suas nadadeiras anal e ventrais são modificadas, formando o seu órgão reprodutor chamado gonopódio. As fêmeas são bem maiores, possuem o ventre roliço e uma mancha escura, chamada de ponto gravídico. Podem atingir mais de 8 cm e geralmente possuem poucas cores no corpo.

Sua dieta é onívora, porém possuem preferências alimentares carnívoras. Sua alimentação varia desde larvas de insetos a algas.

As condições ideais para os Guppies são pH 6,8-7,8, de preferência ligeiramente alcalina (7 a 7,2). Preferem água ligeiramente dura (dGH 8 a 12; 140 a 210 ppm), mas o dGH pode variar de 4 a 20. Por serem peixes tropicais, preferem temperaturas entre 25°C a 30°C, sendo 27°C a temperatura ideal. Recomendamos que a temperatura usada em filhotes seja maior que a usada em jovens e em adultos; 27°C, 26°C e 24°C, respectivamente. O mínimo recomendável para a espécie são 10°C.

São peixes ovovivíparos, ou seja, o embrião se desenvolve dentro de um ovo alojado dentro do corpo da mãe. O ovo recebe assim proteção, mas desenvolve-se a partir do material nutritivo existente dentro do ovo. Os ovos eclodem no oviduto materno sem que exista ligação alguma entre a progenitora e o embrião. As fêmeas podem parir algumas unidades a dezenas de filhotes, mas existem casos de grandes fêmeas parirem mais de cem alevinos.

Classificação Científica

Reino: Animalia

Filo: Chordata

Classe: Actinopterygii

Ordem: Cyprinodontiformes

Família: Poeciliidae

Subfamília: Poeciliinae

Gênero: Poecilia

Espécie: P. reticulata

Nome Binominal

Poecilia reticulata

Wilhelm K. H. Peters, 1859

Sinônimos

Acanthocephalus guppii

A. reticulatus

Girardinus guppii

G. petersi

G. poeciloides

G. reticulatus

Haridichthys reticulatus

Heterandria guppyi

Lebistes poecilioides

L. reticulatus

Poecilia poeciloides

Poecilioides reticulatus

 

Escrito por:
Michel Bruno
(michel@ccg.org.br / guppy.michelbruno.com)
Graduado em Gestão Ambiental pela Uni-ANHANGUERA; Pós-Graduando em Agronegócio pela UFPR; Consultor e Corretor de Seguros da Núcleo Corretora de Seguros; Aquicultor Hobbyista e Selecionador desde 1992; Consultor e Pesquisador em Aquicultura Ornamental & Meio Ambiente; Apaixonado pela espécie Poecilia reticulata e sua variabilidade genética; Juiz de Exposições de Guppies; Membro da Diretoria & Comissão de Arbitragem da Confederação dos Criadores de Guppy-União das Confederações de Aquarismo do Brasil (CCG–U.C.A.B.); Presidente do Clube dos Criadores de Guppy do Centro-Oeste (CCG-CO); Membro da International Fancy Guppy Association (IFGA); Membro da World Guppy Association (WGA).


A PISCICULTURA ----- O AQUICULTOR ----- DICAS ----- PORTFÓLIO ----- CONTATO